domingo, 12 de junho de 2011

INTERLAGOS, QUARTA ETAPA DA FORMULA VEE

Num fim de semana particularmente frio, cumprimos com sucesso a quarta etapa do Campeonato Paulista de Formula Vee. A categoria avança a passos firmes e desta vez tivemos quatro estréias: Sérgio Silva no carro da Dino Motorsport, Régis Cava (piloto da Clássicos de Competição), o piracicabano Bruno Leme e Gláucio Doreto no segundo carro da TJ Competições, complementando o grid de apenas onze carros pois tivemos três ausências, o que nos daria 14 competidores caso tivessem comparecido.

O treino de sexta feira à tarde foi realizado sob um tempo preocupante; foi o dia mais frio do ano em São Paulo e o fim de semana não prometia ser diferente. No sábado uma espessa neblina cobria o circuito de Interlagos, que só foi liberado quase no meio da manhã, ocorrendo um atraso de duas horas na programação geral. mas o sol se mostrou camarada e deu as caras quase ao longo de todo o dia, muito embora a temperatura se mostrasse baixa.

Nos treinos de classificação, sem a presença de seus habituais adversários, Fernando Monis que estreava um novo motor não teve dificuldades em marcar a pole com 2m09s.934, seguido por Cristiano Viana com 2m15s218. A surpresa do dia foi o estreante Gláucio Doreto que virou 2m15s490 logo no seu primeiro contato com o Naja Formula vee, o que prometia uma boa disputa. A seguir vieram José Eduardo Moreira, Rodrigo Bello, Régis Cava, Roberto Zullino, Bruno Leme, Marco Valle, Lucca Paulinelli e Sérgio Silva.

Fernando Monis assume a liderança na primeira curva....

Quase três da tarde, dez carros largaram dos onze inscritos. E sem seus principais adversários presentes, Fenando Monis não teve a menor dificuldade de assumir a ponta e abrir larga vantagem nas voltas iniciais. Se a liderança estava garantida, o mesmo não se passava no pelotão que vinha atrás.

Cristiano Viana e Gláucio Doreto, briga pelo segundo lugar,

Pelo segundo lugar instalou-se uma disputa ferrenha entre Cristiano Viana e o surpreendente estreante Gláucio Doreto que mostrou perfeita adaptação ao Formula Vee. Durante as três voltas iniciais o duelo entre esses dois pilotos galvanizou as atenções, até Gláucio infelizmente parar por problemas elétricos no início da reta oposta.

Cristiano Viana, Gláucio Doreto, Eduardo Moreira e Rodrigo Bello na disputa do segundo lugar.

Outro desempenho marcante foi o de José Eduardo Moreira. Apesar de uma rodada ainda na primeira volta na curva do lago e caindo para a sétima posição, Moreira mostrou tranquilidade e confiança para ir recuperando posições ao ponto de na quarta volta já estar ocupando a terceira posição, após o abandono de Glaúcio Doreto. Mesmo assim, foi à caça de Cristiano Viana, o superando na última volta e garantindo um excelente segundo lugar.

Marco Valle, com o carro na mão, protagonizou o melhor duelo da 4a. etapa.

Um duelo digno de nota foi o protagonizado por Rodrigo Bello, Marco Valle e o estreante Bruno Leme. Com a desistência de Rodrigo Bello na quinta volta, Valle e Bruno Leme disputaram roda a roda por todo o circuito até o final, quando num toque de rodas Marco Valle levou a pior e perdeu a quarta posição. Foi sem dúvida a mais eletrizante briga da prova.

Régis Cava e Bruno Leme, estréias promissoras na categoria.

Régis Cava, estreando carro e motor novos, optou por uma corrida discreta mas eficiente. Somente tomando contato com o carro, garantiu a sexta posição. Roberto Zullino, correndo no carro da formula Vee Brasil de visual e motor novos, cumpriu seu objetivo de apenas complementar o grid de largada, chegando em sétimo ao final. Sérgio Silva teve problemas mecânicos ainda no alinhamento e não chegou a correr, a ssim como mais uma vez Lucca Paulinelli

Uma novidade nesta etapa foi a estrita observação ao regulamento técnico, sendo verificados os carburadores e as tampas dos cabeçotes dos três primeiros colocados. Como nenhuma irregularidade foi verificada na inspeção, foram mantidos os resultados de pista. Esta foi a classificação final:

Resultados da quarta etapa:

1o. - Fernando Monis
2o. - José Eduardo Moreira
3o. - Cristiano Viana
4o. - Bruno Leme
5o. - Marco Valle
6o. - Régis Cava
7o. - Roberto Zullino
8o. - Rodrigo Bello
9o. - Gláucio Doreto
10o. Sérgio Silva

Tempo total: 26m.41s.520
Melhor volta: 2m09s.354 - Fernando Monis, média de 116,233 km/h.

Computados os pontos da quarta etapa, esta é a situação atual do Campeonato Paulista de Formula Vee:

1o. - Fernando Monis - 76 pontos
2o. - Cristiano Viana - 38 pontos
3o. - Ricardo Rosset/Rodrigo Bello - 25 pontos
4o. - Luis Finotti - 22 pontos
5o. - José Eduardo Moreira -
6o. - Emmanuel Calonico Jr - 20 pontos
7o. - Ricardo Pereira - 18 pontos
8o. - Sandro Freitas - 15 pontos
9o. - Roberto Zullino - 12 pontos
10o.-Marco Valle - 9 pontos
11o.- Bruno Leme - 8 pontos
12o.- Régis Cava - 5 pontos
13o.- Sérgio Silva e Lucca Paulinelli - 1 ponto

Nossa próxima etapa será dia 16 de julho, sempre em Interlagos. Até lá, então.

(fotos cortesia D. Pierotti)

7 comentários:

Antonio Seabra disse...

Parabéns a voces da Formula Vee, essa categoria ja é um sucesso: corridas nas datas previstas, bom numero de participantes para uma categoria iniciante, boa cobertura, bom nivel de informação aos participantes.

Espero pelas proximas provas, desejando que todos os que montaram carros se apresentem !

Antonio

Bongar disse...

Parabéns, apesar de eu achar que falte mais atenção dos que estão montando os carros para detalhes que acabam tirando eles até do grid, carro de corrida é feito de detalhes, falta observar e ouvir mais, mas acabam se tocando e aprendendo, espero.

regi nat rock disse...

fiquei no templo até quase as 2 da tarde e precisei ir embora pois tinha compromisso.
Assisti o treino e deu pra ver que a moçada está pegando a mão do bichinho.
realmente nos pequenos detalhes se mostra a competencia de quem monta o carro. Cada vez melhor.
Foi um prazer encontrar o pessoal.

Mestre Joca disse...

O Bongar tocou num ponto importante. Realmente, carro de corrida é feito de detalhes e apesar da flagrante simplicidade mecãnica do Fvee, é aí que reside sua principal dificuldade.

Extrair desempenho de um motor com muita preparação é fácil (e, relativamente, tem até menos quebras)mas de um motor praticamente original exige trabalho e muita atenão.

Curiosamente, são pequenos detalhes de montagem e preparação que tem causado os maiores motivos de abandonos e problemas mecânicos na nossa categoria.

sergio luis disse...

NOSSO motor está sendo levado para um especialista em motores a ar... não vamos mais insistir... depois vamos ver aonde foi nossa falha... muito provavelmente erro de montagem dada a urgência depois de problemas durante a semana. Só posso corroborar o que mestre Joca e Bongar falaram sobre competições... cabeça erguida para a próxima etapa...

Bongar disse...

Especialista em motor a ar é legal,rsrs, mas é isso mesmo, só não se esqueçam dos cabos, dos fios, dos respiros, dos vazamentos, detalhes, e detalhes que devem ser vistos antes do sábado de manhã, Joca puxa orelha do pessoal, precisando tamos aí, valeu.

Du disse...

Pessoal, boa tarde!
Excelente corrida, cheia de emoção até a última volta... que esteve no autódromo viu uma corrida quente até o fim.
Infelizmente, como o Bogar disse, os detalhes são os pontos fundamentais nesse carro, e levamos 3 etapas pra descobrir muitos deles... mas estamos chegando lá!
Boa sorte a todos os pilotos e vamos tomar cuidado com a pilotagem, pois carros de roda aberta não são Karts de aluguel!
Abraços a todos

Edu
V Racing Team